SliTaz GNU/Linux official and community documentation wiki.
.png
Translations of this page:

Configuração de Rede

Sobre a Rede

Por padrão o SliTaz executa, no momento do boot, um cliente DHCP (udhcpc) na interface eth0. Se a sua placa de rede for identificada como sendo de interface eth0 e se você usar um roteador, sua conexão provavelmente estará funcionando. O DHCP é configurado dinamicamente: a cada boot o cliente requisita do servidor DHCP um novo endereço IP, o qual é integrado ao roteador ou a outro computador. Se for necessária a utilização de um IP estático, pode-se editar diretamente os arquivos de configuração ou usar a aba Network no menu Ferramentas do SistemaSliTaz Panel. Em um terminal ou no console Linux você pode listar todas as interfaces de rede disponíveis com o comando ifconfig seguido da opção -a:

$ ifconfig -a

Para mostrar a tabela de roteamento de IP do Kernel, você pode usar o comando route sem nenhum argumento:

$ route

O arquivo de configuração geral de rede é o /etc/network.conf. Ele pode ser graficamente configurado na aba Network do Slitaz Panel ou editado diretamente pelo administrador root.

Netbox - Configure a rede (SliTaz 4.0)

O Netbox é um pequeno aplicativo GTK+ que configura a interface de rede usando DHCP ou um endereço IP estático. As abas podem ser usada para iniciar/parar conexões e mudar automaticamente o valor dos arquivos de sistema. Ele provê uma aba geral de sistema pela qual pode-se editar diretamente os arquivos de configuração de rede, e abas para configurar nomes de usuário e senhas para conexões PPP/PPPoE. Servidores como SSH, DHCP, PXE e DNS também podem ser configurados por este aplicativo e é possível criar a própria rede privada virtual (VPN) utilizando-se as ferramentas disponíveis.

Pode-se iniciar o netbox a partir do menu das ferramentas do sistema ou pelo terminal:

$ subox netbox

Wifibox - Utilitário Gráfico para Configuração de Redes Sem Fio (SliTaz 4.0 e 5.0 Weekly)

O Wifi-box é uma interface para configurar uma conexão de rede (Wifi, WLAN ou Wireless). A aba “Networks” mostra uma lista de redes disponíveis, para conectar a uma delas basta um duplo clique sobre o nome da rede. Se a rede é segura, uma chave de acesso será então solicitada.

A aba “Favorites” permite configurar as redes preferidas. Uma vez que a rede tenha sido adicionada, pode-se clicar duas vezes sobre o nome da rede para iniciar a conexão. A aba “Configuration” permite configurar a conexão manualmente usando configurações avançadas como o modo (mode) ou canal (channel). A aba “Drivers” permite configurar a placa de rede; há 3 opções:

  • A placa é suportada diretamente pelo kernel por meio de um módulo.
  • A placa precisa de um módulo e de um firmware não livre que pode ser instalado automaticamente pela ferramenta de auto-detecção (tazhw).
  • A placa não é suportada pelo Linux e drivers para o Windows devem ser instalado pelo gerenciador de drivers para Windows (tazndis).

Pode-se executar o wifi-box via terminal:

# wifi-box

/etc/hostname - Nome do Host

O arquivo /etc/hostname configura o nome da máquina. Ele é carregado durante a inicialização do sistema com o comando 'hostname', sem argumentos este comando retorna o nome atual da máquina:

$ hostame

Para mudar o nome de host, pode-se usar o comando echo ou um editor de texto disponível no SliTaz (como root). Exemplo usando o comando echo e com o nome de máquina kayam:

# echo "kayam" > /etc/hostname

/etc/network.conf

O arquivo /etc/network.conf é responsável pela configuração da rede no SliTaz. Sua sintaxe é simples e pode-se editar seu conteúdo com um editor de texto como o Nano. É utilizado pelo script /etc/init.d/network.sh para configurar a interface de rede no momento do boot.

IP Dinâmico - Cliente DHCP udhcpc

O cliente DHCP udhcpc fornecido pelo Busybox usa o arquivo /usr/share/udhcpc/default.script para obter um endereço IP automaticamente durante o boot. Suporta várias opções que podem ser listadas pela opção –help:

# udhcpc --help

Para desabilitar o udhcpc na eth0 ou modificar a interface (por exemplo, eth1), deve-se editar o arquivo /etc/network.conf e atribuir o valor “no” para a variável DHCP:

# Dynamic IP address.
# Enable/disable DHCP client at boot time.
DHCP="no"

IP Estático - Usando um endereço específico

Pode-se especificar um endereço IP fixo a ser configurado durante o boot atribuindo o valor “yes” à variável STATIC:

# Static IP address.
# Enable/disable static IP at boot time.
STATIC="yes"

Para a configuração funcionar, deve-se especificar um endereço IP, a máscara de rede, gateway padrão e servidor DNS primário a ser utilizado. Exemplo:

# Set IP address, and netmask for a static IP.
IP="192.168.0.6"
NETMASK="255.255.255.0"

# Set route gateway for a static IP.
GATEWAY="192.168.0.1"

# Set DNS server. for a static IP.
DNS_SERVER="192.168.0.1"

Rotas estáticas

Rotas estáticas podem ser adicionadas a qualquer momento pelo comando route add:

route add -net 192.168.20.0 netmask 255.255.255.0 gw 192.168.21.2

A rota estática vai permanecer ativa até que ocorra o próximo reinício do sistema. Para torná-la permanente, adicione-a ao script /etc/init.d/local.sh.

Conexão PPPoE em modo-kernel

Conexão PPPoE em modo-Kernel necessita de 2 arquivos. O primeiro arquivo é o /etc/ppp/options no qual você deve especificar seu login:

plugin rp-pppoe.so
name <seu login fornecido pelo provedor de conexão>
noipdefault
defaultroute
mtu 1492
mru 1492
lock

Você também deve configurar o arquivo /etc/ppp/pap-secrets ou o /etc/ppp/chap-secrets:

# client           server           secret            IP addresses
"seu_login"        *                "sua_senha"

O arquivo de configuração /etc/resolv.conf será automaticamente carregado. Terminada a configuração, você pode conectar-se à internet com o comando pppd:

# pppd eth0

Em um sistema instalado você pode iniciar o pppd a cada boot usando o script de inicialização local: /etc/init.d/local.sh

Habilite uma conexão ADSL- PPPoE com rp-pppoe

Para configurar um protocolo ADSL via PPPoE, o SliTaz fornece o utilitário rp-pppoe. Usar pppoe-setup permite uma rápida configuração da rede. Se você usar DHCP é fica mais simples ainda, em decorrência de o servidor de seu provedor de acesso encarregar-se de tudo. Se você não possuir DHCP, deve primeiro desabilitar seu uso via a opção DHCP=“no” do arquivo de configuração /etc/network.conf. Deve-se notar que para modificar os arquivos de configuração e os logs do sistema você deve primeiro tornar-se root. Para instalar e mudar a variável DHCP com o Nano (ctrl + x para salvar & sair):

$ su
# tazpkg get-install rp-pppoe
# nano /etc/network.conf

Configure sua internet com pppoe-setup

Para iniciar a configuração de sua conexão PPPoE, deve-se primeiro abrir o Xterm ou o console Linux e executar pppoe-setup para então começar a responder as seguintes questões:

# pppoe-setup
  1. Informe seu nome de usuário. Por favor note que este é o nome de usuário que você utiliza para comunicar-se com seu provedor de acesso.
  2. Interface de internet: o padrão é eth0 ao menos que você possua mais de uma. Neste caso haverá eth1, eth2, etc. Geralmente teclar ENTER é suficiente.
  3. Se você possuir um link ADSL permanente responda yes, do contrário responda no (resposta padrão).
  4. Especifique o DNS primário e secundário de seu provedor de acesso (você precisa pedir essa informação).
  5. Entre com a senha com a qual você se comunica com seu provedor de acesso (será necessário informá-la duas vezes).
  6. Escolha as configurações de firewall dependendo de seu hardware. Se você possuir um roteador você pode teclar 1 ou 2. Na dúvida, tecle 1.

Inicie e pare a conexão

Ainda usando a linha de comando, simplesmente digite pppoe-start para iniciar a conexão. Após alguns segundos o sistema informará que você está conectado. Se ele mostrar uma mensagem como TIMED OUT você deve ter configurado incorretamente a conexão ou ela pode estar defeituosa. Por favor verifique a fiação e repita a instalação desde o início.

Para iniciar a conexão:

# pppoe-start

Para parar a conexão, digite:

# pppoe-stop

Para verificar o status da conexão:

# pppoe-status

Instale um driver de placa de rede

Caso haja a necessidade de um driver de placa de rede e você não sabe o seu nome, pode-se utilizar o comando lspci para encontrar sua placa e então o comando modprobe para carregar o módulo correspondente. No modo Live você pode usar a opção de boot do SliTaz modprobe=modules para carregar automaticamente módulos do Kernel. Para obter uma lista de todos os drivers de placa de rede disponíveis, mostrar placas PCI eth e carregar um módulo:

# modprobe -l | grep drivers/net
# lspci | grep [Ee]th
# modprobe -v module_name

Em um sistema já instalado você só precisa adicionar o nome do módulo à variável LOAD_MODULES em /etc/rcS.conf para carregar seu módulo a cada boot.

Gerencie o Firewall (firewall) usando o Iptables

O SliTaz fornece um firewall básico em que as regras de segurança do Kernel são executadas no momento do boot e as regras do Iptables estão desabilitadas por padrão. Pode-se ativar/desativar isto no momento da inicialização usando-se o arquivo de configuração /etc/firewall.conf.

O script de firewall padrão inicia-se com suas próprias diretivas para o Kernel, isto é, redirecionamentos ICMP, roteamento fonte, logs para endereços não resolvidos e filtros spoof. O script então executa as regras definidas na função iptables_rules() do arquivo de configuração /etc/firewall.conf.

O firewall usa o Iptables, que consiste em dois arquivos, o /etc/firewall.conf e o /etc/init.d/firewall - você não precisa modificá-los. Note que o Iptables possui diversas opções, para maiores informações veja a documentação oficial disponível online: www.netfilter.org/documentation/.

Inicie, pare e reinicie o firewall

O script /etc/init.d/firewall permite a você iniciar/reiniciar, parar ou mostrar o status do firewall. A opção de reinicio é geralmente usada para testar novas regras adicionadas após a edição do arquivo de configuração. Exemplo:

# /etc/init.d/firewall restart

Habilite/desabilite o firewall no momento do boot

Para habilitar/desabilitar opções específicas do Kernel defina “yes” ou “no” na variável KERNEL_SECURITY= :

# Enable/disable kernel security at boot time.
KERNEL_SECURITY="yes"

E para ativar/desativar as regras do iptables, é necessário modificar a variável IPTABLES_RULES= :

# Enable/disable iptables rules.
IPTABLES_RULES="yes"

Adicione, remova ou modifique regras do iptables

Na parte inferior do arquivo de configuração /etc/firewall.conf você encontra uma função chamada iptables_rules(). Esta função contem todos os comandos do iptables executados quando o firewall é iniciado. Para remover uma regra, é recomendável apenas comentar a linha correspondente com #. Não é recomendável deixar a função totalmente vazia: se você quiser desabilitar as regras do iptables apenas adicione “no” à variável IPTABLES_RULES= no arquivo de configuração.

Abaixo um exemplo usando as regras do iptables. Aqui permitimos somente conexões ao host local e à rede local, sendo que as portas 80, 22 e 21 são usadas pelo servidor web, pelo servidor SSH e pelo servidor FTP, respectivamente. Todas as outras conexões de entrada e saída são recusadas - note que esta é uma configuração bem restritiva.

# Netfilter/iptables rules.
# This shell function is included in /etc/init.d/firewall.sh
# to start iptables rules.
#
iptables_rules()
{

# Drop all connections.
iptables -P INPUT DROP
iptables -P OUTPUT DROP

# Accept all on localhost (127.0.0.1).
iptables -A INPUT -i lo -j ACCEPT
iptables -A OUTPUT -o lo -j ACCEPT

# Accept all on the local network (192.168.0.0/24).
iptables -A INPUT -s 192.168.0.0/24 -j ACCEPT
iptables -A OUTPUT -d 192.168.0.0/24 -j ACCEPT

# Accept port 80 for the HTTP server.
iptables -A INPUT -i $INTERFACE -p tcp --sport 80 -j ACCEPT
iptables -A OUTPUT -o $INTERFACE -p tcp --dport 80 -j ACCEPT

# Accept port 22 for SSH.
iptables -A INPUT -i $INTERFACE -p tcp --dport 22 -j ACCEPT
iptables -A OUTPUT -o $INTERFACE -tcp --sport 22 -j ACCEPT

# Accept port 21 for active FTP connections.
iptables -A INPUT -i $INTERFACE -p tcp --dport 21 -j ACCEPT
iptables -A OUTPUT -i $INTERFACE -p tcp --sport 21 -j ACCEPT

}
 
pt/handbook/networkconf.txt · Last modified: 2016/04/05 18:18 by genesis